Discos de travão: como saber se estão em condições

Os travões estão entre os componentes mais importantes para a segurança do seu carro e as suas peças são sensíveis. Saiba como verificar os discos de travão.

A saúde dos discos de travão é essencial para a segurança do seu automóvel. E, por exemplo, podem ficar danificados se não proceder a uma verificação periódica do estado das pastilhas. Ao mais pequeno sinal de fricção entre metais, acelere para a oficina e proceda à substituição daquelas peças de desgaste rápido!

Estará na altura trocar os discos de travão?

Não está definido um período de tempo ou um intervalo de quilometragem recomendado para a substituição do discos dos travões dos automóveis. Contudo, em condições ditas normais de utilização, os especialistas do setor aconselham a sua troca a cada 80 mil quilómetros.

Além disso, a generalidade dos fabricantes de automóveis considera que os discos dos travões deixam de garantir eficácia quando perdem cerca de 20 por cento da sua espessura original. A partir de uma certa medida (que deve constar no manual do veículo), passam a comprometer a segurança. O ideal é nunca deixar que os travões do seu automóvel cheguem a esse patamar de desgaste. Como? Monitorizando. Os especialistas recomendam uma verificação simples a todo o sistema de travagem pelo menos duas vezes por ano ou, no máximo, a cada 20 mil quilómetros – isto se o seu estilo de condução for mais para o tipo pacato. Se, pelo contrário, pratica uma condução mais desportiva ou tem um ritmo de vida mais apressado na lufa-lufa da cidade, então deve inspecionar os discos com maior frequência.

FATORES QUE INFLUENCIAM A MUDANÇA DOS TRAVÕES

Para não correr qualquer risco de acidente na estrada, ou colocar a vida de alguém em perigo, deve estar atento a todos os sintomas que o seu carro apresenta, especialmente no caso dos travões. Existem vários fatores que influenciam a mudança dos travões de um carro:

O aumento da distância de travagem: É medido pelo tempo que o carro demora a parar, que vai desde o momento em que o condutor colocou o pé no travão, até ao momento em que o carro efetivamente para. Para uma travagem mais eficaz, é indispensável ter uns bons pneus – saiba escolher os melhores pneus para o carro;

Falta de precisão na travagem: Quando o carro tem dificuldade em agarrar a estrada, isso faz com que a travagem não se inicie quando o condutor a efetuou. Este efeito pode ser provocado pelo desalinhamento das pastilhas ou dos discos;

O acender constante do indicador do travão no painel de instrumentos: É o indicador comum que alerta para alguma anomalia nas peças dos travões;

A suavidade do pedal do travão: Quando o condutor é obrigado a pressionar o pedal do travão com mais força para que o carro pare a sua marcha;

Ruídos anormais: Os ruídos podem indiciar um desgaste excessivo das peças;

O bloqueio das rodas: Quando as rodas bloqueiam mais rapidamente do que é habitual, isso quer dizer que as peças dos travões podem estar desalinhadas ou corroídas;

Vibração do pedal: Quando em andamento, o pedal do travão vibra constantemente, isso pode significar algum mau funcionamento ou desgaste.

Uma condução defensiva não é suficiente para evitar um acidente ou reagir a um imprevisto, pois é muito importante conhecer bem o seu carro, e analisar todos os sinais que são comunicados. Assim, estará precavido e pode gozar de todos os prazeres de uma condução segura.

Como ver se necessita de mudar os discos dos travões?

Se o seu automóvel está equipado com jantes de liga leve, não será complicado inspecionar todo o sistema de travagem, sobretudo as condições do disco, que deve estar mais exposto. As velhinhas jantes em aço deixam menos espaço de manobra, mas espreitando, com ajuda de uma lanterna (se vai meter a mão, cuidado com as queimaduras; assegure-se de que o automóvel está parado, no mínimo, há mais de duas horas), pode chegar para perceber que a peça já teve melhores dias… Um disco de travão em perfeitas condições apresenta uma superfície brilhante. Aspeto que se vai perdendo quando o automóvel está parado muito tempo.

Mas, mais importante é perceber se existem pequenas rachas ou fissuras na superfície, pois, aparentemente pequenos, estes danos podem originar a quebra do disco, com consequências terríveis para a segurança.

Também é possível que os discos de travão deformem por sobreaquecimento, sendo provável neste caso, que apresentem uma mudança de cor, embora nestes casos mais graves a anomalia já se torna bem evidente na condução.

Se sentir uma vibração do pedal ao efetuar uma travagem a velocidades elevadas, a causa mais provável é os discos estarem empenados. Substituição urgente.

OS COMPONENTES DOS TRAVÕES DO CARRO E A SUA MANUTENÇÃO

A revisão de um automóvel é um procedimento de segurança que permite avaliar o grau de desgaste e corrosão que as peças automóveis apresentam. Os travões de um carro não são excepção, mas sim uma obrigação!

Os elementos que constituem os travões são: os discos, as pastilhas, as maxilas, o líquido do travão e os tubos do travão. É essencial que todos os componentes dos travões sejam mantidos nas melhores condições possíveis, para uma maior prevenção e conforto ao volante de um carro. Saiba como cuidar de todos os elementos dos travões:

As pastilhas

As pastilhas dos travões do carro devem ser substituídas em média a cada 30.000 quilómetros, aproximadamente. Outra condição que leva à mudança das pastilhas é quando a espessura das mesmas alcança o limite mínimo definido pelo fabricante. Por outro lado, se a luz indicadora de desgaste acender no painel de instrumentos, isso significa anomalia nos travões e, consequentemente, a substituição das pastilhas dos travões.

Quando o carro produz um ruído desagradável ao travar, isso não quer dizer necessariamente que as pastilhas estão gastas; pode ser o resultado de uma travagem brusca que foi feita anteriormente que fez com que as pastilhas ficassem mais duras.

Os discos

O desgaste excessivo dos discos dos travões do carro aumenta a distância necessária para parar em caso de travagem. Como tal, devem ser verificados sempre que as pastilhas são trocadas. Quando os discos dos travões estão afetados, isto é, quando estão partidos, dobrados ou riscados, é necessária a sua substituição.

As maxilas do travão

As maxilas do travão devem ser verificadas e trocadas a cada 40.000 quilómetros, ou quando a espessura das mesmas tiver diminuído cerca de 75%, pois dessa forma exercerão uma força mais eficaz nas travagens.

Os tubos do travão

Geralmente usam-se tubos de malha de aço, para que o pedal do travão não fique muito “frouxo” ao ser pressionado. Sempre que leva o pé ao travão e quase que tem que carregar o pedal até ao fundo para que o carro trave, isso quer dizer que os tubos do travão devem ser trocados.

O líquido do travão

Não se devem misturar líquidos diferentes nos travões para que os mesmos não percam a sua eficácia. O líquido do travão é o encarregado de transmitir a pressão da travagem ao sistema de travões e deve ser mudado sempre que se troquem as pastilhas e, de preferência, de dois em dois anos.

Uma curiosidade adicional prende-se com o facto dos travões da frente serem mais gastos que os de trás, pois na dianteira a força e a carga de travagem é maior, o que equivale a um desgaste mais elevado. Assim, pode substituir apenas os travões da frente quando os traseiros estão em condições, isso permitir-lhe-á poupar muito dinheiro na manutenção do seu carro.

Ao fazer um acompanhamento constante das peças automóveis do seu carro, sobem os índices de segurança e prevenção rodoviária e evitam-se acidentes que podem ser fatais. O bom funcionamento dos travões de um carro é um requisito fundamental para beneficiar de todos os prazeres que a condução lhe oferece.

 

 

Fonte: sapo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *